3 dicas para o Crowdfunding, um meio de financiamento a explorar


Por: Alexandra Gomes Há 4 anos, 4 meses atrás

O Crowdfunding, ou financiamento colaborativo, é uma realidade relativamente recente em Portugal, e uma opção de financiamento a ter em conta para pequenos negócios/ideias ou mesmo startups. Apesar de ainda não ser uma fonte de financiamento muito utilizada ou tida em conta por empresas (é sobretudo utilizada por artistas ou pequenos projectos sociais), não descarte logo esta opção: ela poderá ser o “empurrãozinho” final de que precisava para concretizar uma sua ideia de negócio ou projecto. 

Numa altura em que o financiamento de novos projectos e negócios não é tão linear e facilitado como antes, há que reconhecer e recorrer a várias fontes de financiamento, mesmo aquelas que são mais inovadoras no panorama português (à data deste artigo consegui encontrar apenas três plataformas de Crowdfunding em Portugal; PPL, Massivemove e RedeBiz, além do projecto BESCrowdfunding com PPL). Se é verdade que uma campanha de Crowdfunding não significa sucesso garantido nem resolve todos os problemas, ela pode representar pelo menos uma oportunidade para chegar a um determinado objectivo.

Crowdfunding, uma definição:

Imagine que bateu a todas as portas numa tentativa de financiar uma sua ideia de negócio ou um novo projecto, mas que, apesar de ser ter em mãos um excelente projecto e de ter tido algum feedback positivo, não conseguiu angariar os fundos necessários para concretizá-lo. Uma parte do montante já o investiu você, uma outra parte até pode ter conseguido angariar pelas formas mais tradicionais (empréstimos, patrocínios e parcerias, créditos, etc.). No entanto, falta algo mais para que tudo se torne realidade.

Você, enquanto empreendedor, não quererá certamente baixar os braços. Considere uma forma mais simples de angariar os fundos que lhe faltam (ou parte deles) e apoie-se numa comunidade (normalmente uma comunidade online) que possa ter interesse pela sua iniciativa e o possa apoiar com pequenas quantias, cuja soma atinge a quantia que você necessita. Esta é a base do Crowdfunding.

Parece simples, mas não julgue, no entanto, que o caminho é fácil para obter apoios por esta via, pois exige tanto empenho como outra via qualquer mais tradicional. É nesse sentido que gostaria de lhe deixar aqui três dicas para montar uma campanha de Crowdfunding.

 

1| Adeque o seu discurso ao público-alvo da Campanha:

Os seus apoiantes numa campanha de Crowdfunding não vão ser necessariamente o seu banco ou investidores oficiais (com toda a formalidade e burocracia que tais contactos exigem). Antes pelo contrário: é muito possível que sejam cidadãos comuns, pequenos grupos formados pela sociedade civil ou mesmo pessoas de outros países que achem a sua ideia (ou recompensas) interessante e decidam colaborar no seu projecto, financiando-o. Assim, o seu principal desafio será tornar a sua mensagem mais próxima das pessoas comuns (que poderão ser também seus potenciais clientes e divulgar a sua marca no futuro). Essa mensagem deverá ser inspiradora, motivadora e capaz de fazer as pessoas se identificarem consigo e com o seu projecto. O Crowdfunding acaba, deste modo, por ter muito a ver com emoções como o entusiasmo, e com acreditar firmemente no que se está a procurar concretizar. A onda positiva que for capaz de gerar em torno do projecto que leva a campanha pode trazer-lhe um feedback surpreendente.


 
2 | Seja claro sem ser exaustivo:

Um outro desafio a ter em conta é não revelar demasiados pormenores, no sentido de não permitir que a sua ideia/projecto possa ser replicada ou utilizada pelos seus concorrentes, sem, no entanto, deixar de ser transparente naquilo que comunica. Neste sentido, tenha em atenção que nem tudo o que você sabe sobre o projecto que está a trabalhar tem interesse para quem depois o apoia. Por exemplo, pormenores demasiado técnicos são morosos para quem não é da sua área. Planos de negócio, de comunicação ou de marketing são irrelevantes para quem se quer entusiasmar com a sua ideia. Portanto, seja claro, mas sem ser demasiado exaustivo, e verá que o feedback recebido pode ser positivo mesmo assim.

 

3 | Trabalhe as recompensas a oferecer de forma simples:

Saiba que os seus apoiantes podem procurar coisas tão simples como reconhecimento, ou produtos/serviços obtidos a um preço mais competitivo, pelo que as recompensas que vai oferecer em troca do seu apoio devem ser pensadas. Não será necessário recompensas demasiado elaboradas e devem ser sempre recompensas que tenha a certeza que poderá entregar sem problemas. Pode oferecer aos seus apoiantes os seus agradecimentos, visibilidade no seu website, os seus serviços ou produtos, entre outros, e sempre consoante o valor do apoio recebido (quanto maior o valor, mais benefícios pode oferecer aos seus apoiantes). Seja criativo e recompense quem o apoia de forma simples e linear.

 

Se considera que esta é uma via que se adequa ao seu projecto ou ideia de negócio, arrisque. Tenha, no entanto, em conta que esta é apenas uma oportunidade de ter feedback sobre o acolhimento dos seus produtos e serviços junto de um público mais geral e uma saída (pelo menos no caso português) para financiamentos não muito avultados. Não encare uma campanha de Crowdfunding com uma solução de financiamento que lhe vai resolver todos os problemas.

 

SOBRE O CONHECER & EMPREENDER

O Conhecer & Empreender é um blog iniciado recentemente, que visa ser um espaço de partilha de conhecimento e informação de utilidade para todos aqueles que queiram empreender ou se interessem sobre o tema do empreendedorismo. O seu conteúdo é actualizado regularmente e compreende temas que vão desde o empreendedorismo, marketing e gestão, até temas relacionados com comunicação, emprego e gestão de carreira. Dicas, recursos técnicos, notícias, artigos de opinião e divulgação mensal de eventos empreendedores são alguns dos artigos que podem ser consultados nas suas páginas.

Comentários