Foi hoje lançada a Startup Europe


Por: Daniel Araújo Há 4 anos, 10 meses atrás

A Telefónica, uma das maiores empresas do mundo em telecomunicações, e o Lisbon Council, um think-tank belga apartidário, anunciaram hoje uma parceria para os próximos três anos onde colaborarão para criar o Startup Europe, um “centro de excelência para desenvolver e apoiar o empreendedorismo e a criação de emprego na região.”

 

Eva Castillo Sanz, Chairman e CEO da Telefónica Europa, apresentou hoje o projeto no Encontro de Inovação, em Bruxelas. A empresária falou na “década perdida” da Europa, especialmente pela queda no PIB e aumento do desemprego nas várias economias europeias, e o que pode ser feito para tornar a Europa competitiva novamente. A perda de talentos para economias onde está a haver uma aposta forte na tecnologia e inovação como nos EUA ou nos BRIC, torna a situação ainda mais grave. O Economist retratou esta perspectiva muito bem em Julho deste ano neste artigo, onde fala do “falhanço crónico europeu em apoiar empreendedores”.

Para inverter este panorama, foi sugerida a criação de um hub de inovação que irá encorajar o espírito empreendedor por toda a Europa e ajudar a região a reaver a sua liderança na tecnologia.

Esta iniciativa foi categorizada como um action-tank focado nos jovens, tecnologia e empreendedorismo, que terá quatro vertentes:

1 - Inovação e Desenvolvimento de novos indicadores do empreendedorismo;

2 - Aceleração de comunidades e pessoas;

3 - Ferramentas inovadoras e métricas interativas;

4 - Encontros para discutir a política de Empreendedorismo.

 

Máire Geoghegan-Quinn, comissária europeia para a investigação, inovação e ciência comentou esta iniciativa com uma auto-crítica à Europa:


“Demasiadas vezes, pensamos que faltam competências e experiência aos jovens, quando, de facto, eles conseguem compreender as novas tecnologias transformativas de uma forma que pessoas mais velhas não o fazem.”

 

Ainda que estejamos no início desta iniciativa, penso que é uma ideal com potencial, e que, se não se limitar a políticos como a maioria das iniciativas europeias, pode, de facto, ter um impacto no Emprendedorismo Europeu. Com as diferentes economias a terem valências tão diferentes e complementares, a partilha de informação entre eles irá beneficiar todos.

Pessoalmente, gostava que houvesse um grande foco no ponto quatro - Encontros para discutir a política de Empreendedorismo -  para que consigamos influenciar os países a fazerem alterações a nível do capital do risco, como o SEIS, ou a criação de uma rede de proteção para quem liquida empresas como foi feito nos EUA, permitindo assim que se possa falhar mais depressa, e se cria novos projetos.

Vamos ficar atentos aos desenvolvimentos desta iniciativa e retratá-los aqui.


Comentários