O que falta ao nosso empreendedorismo


Por: Daniel Araújo Há 5 anos atrás

As razões mais comuns que se ouvem falar para a falta de empreendedorismo e empreendedores em Portugal são dinheiro, talento ou ideias. Apesar destas três componentes terem certamente um papel fundamental no sucesso das nossas startups, o sucesso a longo prazo está também dependente de uma outra competência. É uma competência que sempre nos fez falta e que afeta todo o tecido empresarial português e não apenas os empreendedores. Falo da falta de cooperação entre as várias entidades - start-ups, incubadoras VC’s ou até Universidades.

Antes de explicar o porquê de esta ser a questão que mais precisamos de acertar, vamos perceber o porquê do dinheiro, talento e ideias não serem o fator limitativo.

O dinheiro é possivelmente a componente mais falada e mais comum. É comum dizer-se de que nos Estados Unidos existe sempre capital e é muito mais fácil financiar um projeto. Apesar de,  de fato, haver muito mais financiamento, existe também muita mais concorrência pelo dinheiro disponível. Os projetos são obrigados a estar num estado muito mais desenvolvido e as queixas da falta de dinheiro também existem.

Quanto ao talento, nao há falta dele em Portugal. Todos os anos saem das Universidades Portuguesas milhares de jovens qualificados e com competências de trabalho, que falam inglês e são competitivos a nível internacional. Das várias conversas que tenho com empreendedores em Londres, todos eles referem como os portugueses não só são dotados das melhores ferramentas de trabalho como também possuem uma capacidade de solucionar problemas acima da média.

Por último, as nossas ideias são, na sua maioria, globais desde o primeiro dia. Apesar do que possamos pensar, não é assim em todos os países. As ideias que temos são, várias vezes, validadas internacionalmente - temos casos como a tarpipe ter sido comprada pela espanhola Nubera ou a Blip.pt pela inglesa Betfair.

Nesta fase, onde cada vez mais se fala de empreendedorismo, percebemos que nenhuma destas três componentes faz mais falta do que criarmos uma rede densa de contactos com outros empreendedores Portugueses.

Não podemos fechar os empreendedores do Porto no Porto e os de Lisboa em Lisboa. Temos de falar, trocar ideias e partilhar projetos a nível nacional. A competitividade internacional que temos não é única de nenhuma cidade. É Portuguesa. Por isso ganhamos em partilhar esta luta para colocar Portugal no mapa do empreendedorismo global.

A NovaWeb pretende ser uma plataforma regionalmente agnóstica, e por isso responder a esta necessidade de juntarmos esforços e criarmos uma rede de conhecimento e contatos a nível nacional.


Comentários