Startup da Semana - Skilleo


Por: Daniel Araújo Há 4 anos, 4 meses atrás

Numa altura em que a educação em tecnologias na Europa tem recebido muita atenção (tendo a própria União Europeia assumido que apenas metade das vagas nesta área serão preenchidas), sabemos que os métodos de recrutamento estão também a sofrer uma enorme mudança. Falámos com a equipa da Skilleo, uma startup incubada na UPTEC que tem uma proposta muito interessante em como podemos avaliar as competências técnicas na área das TI. 

O que é a Skilleo?

Skilleo é um serviço online onde empresas encontram os especialistas na àrea de Tecnologias de Informação (TI) com as competências técnicas que necessitam, de forma simples, rápida e precisa, pondo-os à prova quanto ao know-how que estes possuem, quando se candidatam a um anúncio de emprego.Ao mesmo tempo, é um local onde especialistas em TI, com fortes competências técnicas, procuram e gerem novas oportunidades de trabalho, podem comprovar o seu know-how através da participação em desafios de programação contra outros programadores ou amigos e ainda aprender novas linguagens e metadologias de programação para que melhorem os seus conhecimentos técnicos.

Quem são os fundadores e qual a sua história?

Os fundadores são João Carvalho, 29 anos, formado em Design de Comunicação e Fábio Martins, 26 anos, formado em Engenharia Electrotécnica

Como chegaram à ideia para fundar a vossa Start-up?

A idea surgiu quando João, em 2010, andava à procura de um novo desafio profissional e descobriu que nas entrevistas de emprego que era chamado, havia uma certa desorganização e processos repetidos por parte da empresa, tais como: não saber o nome do candidato, colocar questões repetidas a todos os candidatos, chamar o candidato duas vezes para a mesma entrevista, não ter a certeza das competências técnicas necessárias para o cargo e, por fim, não darem feedback sobre a entrevista.Em 2012 a situação inverteu-se e João passou a ser o entrevistador e notou-se outro tipo de problemas: individuos que mencionavam possuir o conhecimento necessário e na realidade não tinham a experiência que indicavam, candidaturas de individuos que não se enquadravam na formação requesitada, uso de email para gerir candidatos e comunicar com eles e por fim, quando se colocavam questões para testar competências técnicas, seria numa segunda entrevista e quando o resultado era nulo, era necessário repetir o processo para encontrar outros candidatos.Com isto, decidimos questionar empresas e reparamos que o problema é geral e, do lado dos candidatos, uma falta de percepção do que o mercado necessita. E assim surgiu o Skilleo, um local onde empresas encontram os individuos que necessitam e candidatos conseguem transmitir o seu know-how e perceber o que as empresas procuram.

O que vos diferencia?

Actualmente as plataformas existentes de ATS (Applicant Tracking System) focam-se unicamente nas empresas e como estas poderão criar um canal de recrutamento e selecção organizado, rápido e fácil de usar mas ignoram o facto de que, o recrutamento nos dias de hoje é diferente, principalmente para áreas com falta de individuos com experiência e know-how e a tendência é de criar uma plataforma onde os candidatos também se sintam valorizados, que expressem a sua proposta de valor, demonstrem os seus conhecimentos técnicos e que lhes digam o que as empresas andam à procura actualmente. É nossa missão criar um local onde empresas e candidatos partilham o mesmo serviço e ambas demonstram o que procuram e o que oferecem entre eles.  

Qual o vosso Modelo de Negócio? E qual o vosso potencial de mercado?

Nós actualmente estamos focados na indústria de Tecnologias de Informação (para programadores já com experiência ou recém-licenciados, como também para empresas deste sector) porque é das indústrias onde, hoje em dia, se sente uma maior dificuldade de as empresas conseguirem encontrar o talento que procuram. Futuramente vamos expandir o nosso foco para outras 3 indústiras: Ciências, Engenharias e Matemáticas.Actualmente o Skilleo não tem qualquer custo para as empresas, enquanto estamos em fase beta. Quando terminarmos essa fase, seremos versáteis como as empresas podem usufruir do serviço, através da compra de créditos que serão gastos consoante as necessidades de cada empresas. Será um modelo de "pay as you go", sem planos mensais ou anuais.Para os candidatos é gratuito e sempre o será.

Qual é o estado actual do projecto? (Procuram beta-testers, ainda em desenvolvimento, etc)

Actualmente estamos em fase beta e receber/analisar feedback de utilizadores (candidatos e empresas), estudar necessidades e desenvolver/experimentar funcionalidades para ir ao encontro dessas necessidades e problemas que utilizadores não sabiam que possuiam. Basicamente somos hávidos defensores de um modelo "Lean Startup" para não construirmos algo que não resolve nenhum problema ou que ninguém quer.Possuimos grande número de empresas e programadores portugueses mas já temos empresas de 9 países e será essa a nossa prioridade: internacionalizar ao máximo o serviço.

Como se vêem daqui a 1 ano?

Vêmo-nos como uma referência em Portugal a nível de recrutamento e ter uma maior presença na Europa, ao mesmo tempo investir em parcerias com Instituições de Ensino, hackathons e eventos relacionados com programação, para ajudar a orientar jovens licenciados para o mercado de trabalho e ser uma referência em comunidades de programadores.

Têm algum conselho para os que estão agora a começar a pensar abrir uma Start-up?

Não criem logo uma empresa, invistam primeiro na ideia, testem-na no mercado, recebam feedback (não de amigos e familiares porque esses vão sempre dizer que está óptimo) mas sim de potenciais utilizadores, não criem todas as funcionalidades de uma só vez, dividam o projecto em "etapas", meçam a vossa performance de uma funcionalidade e questionem utilizadores sobre o que acham de outras funcionalidades que tencionam criar e estudem o feedback deles.

Podem seguir a Skilleo nas seguintes redes sociais:


Comentários