Startup da Semana - Unbabel


Por: Daniel Araújo Há 3 anos, 5 meses atrás

Esta semana falámos com a equipa da Unbabel, uma das startups que conseguiu um crescimento exponencial que resultou recentemente na sua  incubação na Y Combinator - o que só por si seria muito interessante de os conhecer. Ainda assim, a Unbabel tem uma missão ambiciosa e muito necessária - colocar as empresas a falar as línguas nativas dos seus utilizadores.

Antes de mais, como é que definem a Unbabel?

A Unbabel é ao mesmo tempo um serviço de tradução online e muito mais do que um serviço de tradução online. Juntamos Inteligencia Artificial com Pós-Edição por uma comunidade de usuários (os nossos Unbabelers), para entregar traduções de uma forma simples e automática, por email, através de uma API, e em breve em aplicações criadas sobre os sites e produtos usados pelos nossos clientes. O nosso objectivo é fazer parte da criação de uma internet mais inclusiva, onde todo o conteúdo está disponivel a todos, independentemente de sua lingua nativa. E fazer isto de uma forma que seja tão simples de usar e tão barata que o processo de tradução deixa de ser mais um passo, mais uma barreira e fica embebido no dia a dia.

Como é que surgiu o conceito? Quem é a equipa hoje?

Surgiu da observação de que existem uma série de serviços que promovem a comunicação entre pessoas de nacionalidades diferentes, serviços como o airbnb por exemplo, e que existem barreiras linguisticas nestas interações. Descobrimos também que as empresas, grandes e pequenas, precisam cada vez mais de traduções, mas com os preços atuais há muito conteúdo, em particular conteúdo gerado por utilizadores, ou UGC, que não chega a ser traduzido apenas porque isso não é nem simples nem viável económicamente. Por isso muitas empresas resignam-se a entregar experiências online muito inferiores aos seus utilizadores que não falam inglês. É isso que estamos a mudar..

A equipa é composta por 5 fundadores:

Vasco Calais Pedro, Doutorado em Processamento de Linguagem Natural

João Graça, Doutorado em Machine Learning

Bruno Silva, Designer

Hugo Silva, Front-end Developer

Sofia Pessanha, Marketing e Gestão de Comunidade.

Já nos conhecíamos antes da Unbabel, e já tinhamos trabalhado juntos noutras startups e projectos. Juntamos na equipa as competências técnicas e de negócio necessárias para crescer a Unbabel..

O que diferencia a Unbabel de outros produtos de tradução, ou mesmo de serviços de tradutores?

O que distingue a Unbabel das agências de tradução tradicionais é a forma como usamos a técnologia para tornar mais eficiente o processo de tradução. Por um lado, combinamos um software de tradução automática, com uma comunidade de pessoas que corrigem os resultados, ou seja, o nosso foco é a pós-edição de tradução automática. Com este método, necessariamente a produtividade dos tradutores (na verdade editores) é muito superior. Por outro, estamos a desenvolver uma série de ferramentas que optimizam o próprio processo de solicitar uma tradução como a API, o pedido por email e outras. Ao usar a tecnologia para reduzir ineficiencias reduzimos o custo de produzir traduções, e consequentemente o preço que cobramos aos clientes. É importante notar que essa redução de preço é feita com base em inovação tecnológica, e não à custa do esforço dos tradutores.

Qual o vosso Modelo de Negócio? Como medem o vosso potencial de mercado?

É simples: vendemos palavras traduzidas! O mercado da tradução vale 34 mil milhões de dólares por ano, e está a crescer a 20% por ano há quarto anos. À medida que a globalização segue o seu curso, imparável, a necessidade de traduzir conteúdos online aumenta.

A Unbabel foca-se em conteúdos gerados por utilizadores, como emails, posts, tweets, revisões, comentários. Este é um tipo de conteúdo que cresce a cada dia, e para o qual não há nenhuma solução satisfatória no mercado, quer em termos de preço, quer em termos de eficiencia. De certa maneira estamos a aumentar o mercado, porque estes conteúdos não chegam a ser traduzidos.

E vendemos a grandes players da internet, empresas que estão aqui, em Silicon Valley, e que infelizmente não posso nomear, por enquanto!


Qual é o estado actual da Unbabel? (Procuram beta-testers, ainda em desenvolvimento, etc)

Acreditamos da filosofia Lean Startup de testar cada hipótese com Produtos Mínimos Viáveis. Lançamos a 1ª versão do nosso site em Outubro, e começamos a vender em meados de Dezembro. A base do nosso negócio: fazer e comprar uma tradução está disponivel em 6 linguas (Inglês, Português, Francês, Espanhol, Italiano e Turco). A plataforma está aberta tanto para clientes como para editores. Claro que estamos em constante processo de desenvolvimento, e todo o feedback é muito bem-vindo!

Como é que vocês têm atraído potenciais clientes? Sentem que vocês estão a mostrar às pessoas um problema que não sabiam que tinham, ou por outro lado, era uma necessidade já latente que vocês estão a responder?

A industria da tradução é enorme e é antiga. Poucas empresas hoje oferecem os seus serviços apenas numa lingua, ou apenas num mercado. Sentimos que há empresas que procuravam soluções melhores do que pura tradução automática, mas mais baratas do que a tradução humana disponivel hoje. Algumas já “brincaram” com crowdtranslation e há projectos famosos como a tradução do Facebook e Twitter pelos próprios utilizadores do site. De alguma forma, os conceitos base sobre os que acenta a Unbabel - machine translation, pós-edição e crowd-translation - já existiam, nós estamos a juntá-los de uma forma única que é muito apelativa.

Temos feito uma mistura de comunicação online, em redes sociais e blogs, com usar as nossas relações pessoais, com, claro, a rede do YCombinator.

A vossa inclusão na Y Combinator é sem dúvida uma enorme prova do vosso valor, mas também poderão trazer muitas lições a outras startups Portuguesas. Quais são as lições mais importantes até agora?

Crescer, crescer, crescer! Esse é o foco do YCombinator. O que nos disseram no primeiro dia, e repetem incansavelmente é que devemos estar focados em falar com clientes, e desenvolver produto, mais nada. Estabelecemos uma meta inicial de crescer 10% por semana, e temos conseguido ultrapassar largamente esse valor. Reduzimos distrações, vivemos todos juntos, trabalhamos na sala, muitas horas por dia, de manhã à noite, 6 às vezes 7 dias por semana. É bastante simples: foco no cliente, no produto e em crescer.

Quais são as principais funcionalidades que irão ser implementadas na Unbabel nos futuro próximo?

O nosso produto tem dois lados: as aplicações para clientes e para editores. Do lado do cliente já lançamos o formulário online, o pedido de traduções por email e a API. Estamos a trabalhar noutras apps que nos colocam onde os clientes precisam da tradução, no momento em que precisam dela. Do lado do editor, estamos a melhorar a experiencia e a eficiencia de editar um texto tanto online, como em ambiente movel. Já lançamos a aplicação Android, e a IOS está para breve. Desenvolvemos com uma filosofia de melhoria contínua, pelo que vamos continuar a melhorar as funcionalidades que temos e a ouvir os clientes sobre o que precisam.

Têm algum conselho para os que estão agora a começar a pensar abrir uma Start-up?

O melhor conselho que podemos dar é o que recebemos no YCombinator: foco no cliente, em passar tempo com os utilizadores, vê-los usar o produto, ouvir o seu feedback, criar empatia com o cliente; foco no produto, nos detalhes, na experiência, e foco em crescimento, em experimentar coisas novas e em lançar rapidamente, testar, iterar, melhorar contínuamente. E não tentar optimizar tudo demasiado cedo. Não faz mal fazer coisas à mão, que não escalam. O inicio é o melhor momento para criar a base de uma uma empresa, um produto e uma experiência únicos.


Comentários