Tens uma ideia? Não cries uma startup


Por: Daniel Araújo Há 2 anos, 10 meses atrás

Apesar da NovaWeb falar do emergente movimento de startups que temos em Portugal, do relativo sucesso de algumas startups portuguesas (apesar de ainda não termos tido nenhum fora de série), a verdade  que há muitas mais razões para não fazer.

Este sentimento positivo não é exclusivo ao nosso país. O próprio The Economist no início deste ano fez deste tópico capa, chamando-lhe a Explosão Cambriana das startups de Tecnologia.

1 - Estou à distância de uma grande ideia

O número de programas para startups, incubadoras e aceleradoras não tem parado de aumentar. Apesar da tendência ser claramente positiva, a verdade é que para aumentar a chance de sucesso em startups não precisas de saber de startups.

Precisas de ter um conhecimento muito aprofundado de um sector e perceber como irás resolver o problema das pessoas nessa área, e como é que as pessoas estão dispostas a pagar por isso.

O Paul Graham, o famoso criador do Y Combinator, diz muitas vezes - “as ideias valem zero - se não acreditas, tenta vender a ver se alguém compra. Ninguém compra, por a ideia não vale nada!”

2 - Sendo empreendedor, sou o chefe

Uma startup  um projecto com grande potencial de escala, que está à procura de um modelo de negócio repetível. (Eu sei, existem imensas interpretações, estou a usar aqui a do Steve Blank).

Nesse processo de pesquisa, não existe nenhuma estrutura nem hierarquia que defina o “chefe”. O processo de criar uma startup é a coisa mais desgastante mentalmente, nas palavras do Ben Horrowitz - no seu mais recente livro The Hard Thing About Hard Things -, send o maior desafio de todos é controlar a nossa própria psicologia.

Desenhar um organigrama, recrutar e até mesmo despedir eram relativamente fácil comparado com o esforço para manter a sua sanidade mental. (Recomendo vivamente a leitura do livro para explorarem melhor este tópico)

3 - Os empreendedores ficam ricos

Como é natural,  os casos que lemos nos media são os casos de sucesso, o que nos inviesa a pensar que as chances de sucesso são boas. A verdade é que a maioria dos projectos falham, por várias razões, sendo que a mais comum é.. o dinheiro acaba. Quando isso acontece, não o dinheiro da empresa que acaba, é o dinheiro do empreendedor e dos investidores.

4 - Os emprendedores não têm horários

Pois não. Não têm porque trabalham 24h por dia, mal dormem a pensar quando o dinheiro vai acabar e não sabem o que são fins-de-semana. O sentimento de sair do trabalho pelas 17.30h e ir ter com os amigos, sem pensar em trabalho, deixa completamente de existir - a startup consome-nos o tempo e exige muito mais de nós do que trabalhar por conta de outrem.

Existem muitas mais razões para não o fazer. Apesar de em Portugal cada vez mais se falar no quão importante é a criação de emprego e a tecnologia, temos que ter a noção que, racionalmente e financeiramente, faz mais sentido trabalhar em grandes empresas.

Se nada do que escrevi te assusta e sentiste, como eu senti quando terminei o livro do Ben Horrowitz, que tudo vale a pena porque o nosso projecto e ideia TEM que existir, então não hesites. Precisamos de mais empreendedores.

(P.S.: A melhor forma de saberes como funcionam as startups é trabalhar para uma - vê as oportunidades de trabalho na secção de Jobs na NovaWeb!)


Comentários